Biografia ,segundo a Manowar Brazil

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Biografia ,segundo a Manowar Brazil

Mensagem  Zé Metal & Company em Dom Fev 22, 2009 2:29 pm

Tudo começou em Auburn, Nova York (EUA), em 1980. O baixista Joey DeMaio e o vocalista Eric Adams, que na época eram estudantes e tocavam em bandas diferentes, conversavam sobre heavy metal (como muitos de nós o fazem todos os dias) e chegaram à conclusão de que a cena não estava grande coisa, visto que como melhor banda de metal do ano havia sido escolhida o Journey. Daí surgiu o embrião do que viria a ser uma das maiores bandas de heavy metal de toda a história da indústria fonográfica. No entanto, a coisa ainda demorou um pouco para tomar forma, uma vez que ambos seguiram caminhos diferentes. DeMaio arrumou um emprego como roadie do Black Sabbath (era responsável pelos efeitos de palco) e, num dos shows, conheceu Ross Funicello, o Ross the Boss, ex-guitarrista do Dictators, banda de Marco Mendonza, o baixista clássico do Twisted Sister. A amizade acabou tomando rumos interessantes, uma vez que ambos desfrutavam do mesmo posicionamento sobre a cena metálica da época. Com isso, resolveram montar um time fiel ao verdadeiro heavy metal. Voltaram, então, a NovaYork onde encontraram com Eric Adams facilmente. Com as três cabeças pensando na mesma direção, nasce o Manowar. Começaram a compor antes mesmo de encontrar um baterista, que acabou sendo Karl Kennedy, que entrou para a banda depois de responder a um anúncio no jornal. Começaram a compor, mas antes mesmo de gravar alguma coisa, Kennedy deixa a banda, e é substituído por Donnie Hamzik, um polonês radicado nos EUA e era um grande baterista. Com este line up a banda lançou um dos maiores clássicos do heavy metal, em 1982. Battle Hymns foi lançado pela gravadora Liberty, e atraiu a atenção de todos os envolvidos com metal para a banda. Esse álbum mostrou ao mundo aquilo que seria feito durante toda a história da banda. Músicas pesadas, climas épicos e toda a pose do guerreiro do heavy metal. É inegável que músicas como Battle Hymns (o maior clássico da banda), Metal Daze, Manowar, e todas as outras são de qualidade inquestionável. Marcou história, também, a participação de Orson Welles, fazendo uma narração em Dark Avenger. A qualquer um que esteja começando no mundo metálico esse álbum é essencial. A todos os que já estão nesse mundo, o álbum é essencial também. Esse álbum deveria ser obrigatório. A banda começou a chamar a atenção da mídia e do grande público. Sobretudo pela postura à la Conan dos músicos.Nessa época foram convidados a participar do festival Reading Rock Festival, na Inglaterra.Mas como a Liberty não teve condições de bancar a viagem, o Manowar rescinde o contrato e vai atrás de uma nova


gravadora. Anos depois Joey DeMaio divulgou que a banda havia sido despedida por serem barulhentos demais. Na mesma época Scott Columbus entra na banda, substituindo o polonês Hamzik. Columbus, que havia sido recomendado por uma amiga de DeMaio, mostrou-se o homem ideal para o posto, uma vez que reunia todos os pré-requisitos para a música e o visual que o Manowar ostentava. A banda foi então para a gravadora Megaforce, onde cada um assinou o contrato com o próprio sangue, em uma espécie de pacto. Pela nova gravadora lançam, em 1983, um álbum tão bom quanto o debut, Into Glory Ride trazia sete das melhores composições do ano, como Valhalla, Revelation (Death's Angel) e a ótima Warlord. Graças ao apoio dado pela nova gravadora, o Manowar parte para uma turnê de dois meses pela Europa, no final de 1983. O giro passou pela Inglaterra, Alemanha, França, Portugal e Espanha, atingindo muitos fãs e conquistando outros novos. A tour havia sido um grande sucesso.Voltaram aos EUA para a gravação do terceiro trabalho de estúdio, que acabou sendo gravado no Canadá e lançado logo no início de 1984. Hail To England foi uma homenagem aos fãs ingleses, que, como eles mesmos disseram, foram os primeiros a receber a banda de braços abertos. Esse álbum trouxe diversos hinos fiéis ao verdadeiro heavy metal, como Blood Of My Enemies, Army Of The Immortals e a faixa título. Esse álbum ajudou a manter o nome da banda em alta, e com isso lançam, em seguida, ainda em 84, Sign Of The Hammer, álbum feito com músicas que não haviam entrado no álbum anterior. Anos mais tarde Joey DeMaio desmentiu mais esse fato, dizendo que a banda havia gravado dois álbuns em duas semanas, por isso todos acabaram achando que eram sobras de estúdio. Mas independentemente disso, Sign Of The Hammer é tão bom quanto seus antecessores. Animals, Guyana (Cult of the Damned), All Men Play On Ten e a ótima Thor (que anos mais tarde foi coverizada brilhantemente pelo Therion, com a participação de Ralph Scheepers). Com o lançamento desse álbum, a banda parte para uma turnê mais extensa, atingindo, além da Europa, a Oceania, passando por Austrália e Nova Zelândia. Nessa época, bandas de metal, como Judas Priest e Motörhead começaram a alcançar certo sucesso nos EUA. Isso acabou rendendo com a Atlantic. Fighting The World saiu em março de 1987, o álbum trazia também grandes composições, como Defender e Black Wind, Fire And Steel. Para esse álbum, o Manowar gravou seu primeiro vídeo clip, para Blow Your Speakers. Em 1988 foi lançado o próximo grande álbum da banda: Kings Of Metal. Considerado por muitos como o melhor

trabalho da banda, o álbum apresentou uma volta ao metal épico tradicional da banda com faixas muito boas como a rápida Wheels Of Fire, Hail And Kill e Blood Of The Kings. No entanto, logo após o lançamento do álbum, Ross the Boss deixa a banda para ser substituído por Dave Shankle, que já era conhecido da banda e sabia todas as músicas. O guitarrista acabou estreando na turnê de divulgação do álbum, que passou por Estados Unidos, Canadá e Europa. Foi nessa época que a banda começou a tocar com a maior potência sonora possível, ultrapassando o recorde, que antes era do Motörhead. Em 1992, a banda acabava de voltar de férias e sofreram mais uma baixa, com a saída de Scott Columbus. O baterista tinha um filho excepcional e teve que se afastar da banda, prometendo que assim que pudesse voltaria ao posto. Para seu lugar veio Rhino, e com essa formação lançam Triumph Of Steel. Era a época do grunge, quando as bandas de heavy metal estavam sumindo nos EUA e a imprensa bradava que o heavy metal estava morto. A resposta a isso foi com Ride The Dragon, talvez a música mais rápida da banda. Além dela, se destacavam Metal Warriors e a imensa Achilles (Agony and Ecstasy in Eight Parts), de quase meia hora de duração. Em 1993, foram lançados no mercado duas coletâneas: o box Secrets Of Steel, que contém os cds lnto Glory Ride e Hail To England mais um vídeo. Em 1994, durante a tour de divulgação do álbum, em um show em Hanôver, na Alemanha, ao tocarem a veloz Black Wind, Fire & Steel, atingem 129 decibéis e oficializam o recorde da banda que toca com a maior potência sonora do mundo. Além disso foi lançada uma coletânea chamada Hell Of Steel, que cobria boa parte da carreira da banda, e contava com uma versão em alemão para Heart Of Steel, batizada de Herz Aus Stahl. Depois da extensa turnê, a banda sofre mais uma baixa, com a saída de Dave Shankle. Isso

obrigou o Manowar a ficar parado por algum tempo, até que surgiu Karl Logan, até então, um desconhecido. No entanto, foi divulgado que Joey DeMaio conheceu o guitarista em uma loja de Harley Davidsons, quando havia levado a sua para consertar. O Manowar, então, passou por uma verdadeira guerra jurídica com a Atlantic, para logo após assinar com a Geffen. E, antes de iniciarem as gravações do álbum seguinte, Scott Columbus entrou em contato com a banda manifestando o desejo de voltar ao seu posto. Rhino, que já esperava a volta do antigo baterista aceitou a situação e deixou a banda. Com o filho recuperado, Columbus mostrou muita vontade e garantiu a potência necessária à banda. Em 1996 saiu mais um grande trabalho dos guerreiros. Louder Than Hell mostrou o velho Manowar fazendo o mesmo som de sempre, com grandes composições como Return Of The Warlord, Number One, Courage e a ótima The Gods Made Heavy Metal. Esse álbum trouxe o Manowar pela primeira vez ao Brasil. No ano seguinte, impulsionados pela imensa quantidade de registros piratas dos shows da banda; o Manowar resolve colocar no mercado seu primeiro álbum ao vivo Hell On Wheels.O álbum ficou marcado por trazer uma faixa gravada em


cada país, com destaque para Blood Of My Enemies, tirada do show que a banda fez em São Paulo. Mas, como já era de se esperar, a banda acabou tendo que deixar muitos clássicos de fora do álbum ao vivo e, para consertar isso, saiu, em 99, o segundo álbum ao vivo da história da banda Hell On Stage. Esse álbum também trouxe faixas gravadas no Brasil, que foram The Power e Metal Daze. A banda segue fazendo show pelo mundo, tocando em grandes festivais como o Dynamo Open Air, na Holanda, o Wacken, na Alemanha e o Gods Of Metal, na Itália. E esteve mais uma vez no Brasil, dessa vez como parte do cast do Monsters Of Rock, junto com bandas do porte de Slayer, Megadeth, Saxon, Savatage e Dream Theater. Depois de mais um longo período sem lançar nenhum trabalho de estúdio (apesar de ter saído um dvd e estar mais um à caminho), em 2002 a banda lançou mais um trabalho significativo na sua história Warriors Of The World, as canções épicas e a história do verdadeiro heavy metal. Mais um clássico. Músicas como Fight For Freedom, Fight Until We Die, Swords In The Wind, Call To



Arms, a versão para Nessun Dorma, de Puccini e Warriors Of The World United já entraram na lista das preferidas dos fãs e estão tendo grande recepção ao vivo. O que mostra o respeito que o fã tem pelo Manowar. Depois disso seguiu-se um hiato de 5 anos até a banda lançar outro inédito, o álbum “Gods of War” de 2007. Nesse meio tempo, alguns ‘singles’, DVDs “Hell On Earth IV” e “The Day The Earth Shook - The Absolute Power”. No meio do ano de 2007 mais um cd ao vivo-duplo com um vídeo-clipe da música Gods of war, o álbum "Gods of War live", destaque nas músicas CD 1 - Holy war, Mountains e a maravilhosa música Die for Metal, CD-2 Gods of War, The sons of Odin e Hymn of the immortal warrior. Agora o Manowar já esta preparando mais um álbum, querendo manter o conceito de 'Gods of War' e fazer mais um álbum matador
avatar
Zé Metal & Company
Admin

Mensagens : 103
Data de inscrição : 30/01/2009
Idade : 51
Localização : Chelas Horror

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum